80 BATIMENTOS POR MINUTO

Ação performática, 20 kg de terra, mudas de suculentas, monitor de led de 40″

Daniele Queiroz e Rodrigo Gontijo (colaboração: Tayná Ibañez e Victor Leguy)

80 batimentos por minuto

Durante a residência Kaaysá, em Boiçucanga, os artistas Daniele Queiroz e Rodrigo Gontijo se debruçaram sobre questões relativas ao tempo. O que rege nosso tempo? Quais são os tempos que já não vivemos, tempos cíclicos, repetidos, não-lineares. Ao encontrar uma folhagem que realiza um arco pendulares inexplicável, Rodrigo registrou o movimento que é a ignição da ação com Daniele: realizar gestos ritmados e mecanizados para cuidar de uma um monte de terra com plantas, explorando a repetição, a alienação e o absurdo como formar de buscar um tempo-outro que se esconde dentro dos ritmos.

A performance foi apresentada na Galeria Rabieh como mostra do processo “Friccional – vibratos audiovisuais” na Kaaysá Art Residency e na Bienal da Ocupação Ouvidor 63 em São Paulo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s